Picking e Packing para diminuir custos e encantar o cliente

O consumidor está cada vez mais exigente e imediatista, sendo cada vez menos tolerante com serviços meia boca.

No comércio, principalmente o online, o pesadelo acontece quando esses consumidores compram em lojas que entregam problemas, ao invés de produtos. Não entregar a encomenda, entregar com atraso, produto ou especificação errada e mercadorias danificadas são erros que podem detonar uma empresa – com custos extras e má reputação.

Podemos dizer que do mesmo modo que há investimento e otimização constante dos processos de vendas, a logística das entregas também precisa dessa atenção – independentemente do porte da loja.

Nesse quesito, dois processos chaves da logística para evitar problemas, satisfazer os clientes e lucrar mais, são o picking e o packing.

Picking

É o processo de separação dos produtos pedidos – o que mais influencia no tempo total de processamento do pedido.
Funciona, basicamente, assim: o mix de produtos, dos pedidos emitidos pela expedição, é coletado na área de armazenagem, de acordo com as quantidades e especificidades corretas.

Exige muito tempo e atenção. Conforme o número de pedidos, quantidade de cada produto e tempo para separar cada um, a complexidade do picking aumenta. Em grandes operações, ele representa 40% da mão de obra necessária para a logística.
Imagine um marketplace que tem uma expedição diária em torno de 200 pedidos. Se não houver métodos para fazer a separação dos produtos, erros serão frequentes.

Então, o picking é feito de uma maneira que seja ideal para o perfil e funcionamento do negócio. Os métodos podem ser:

  • Picking discreto: o processo é feito item a item. É a maneira que mais evita erros, porém a produtividade é baixa, pois leva muito tempo.
  • Picking por zona: os produtos são coletados por zona (SKU) dentro da área de armazenagem.
  • Picking por lote: os produtos são coletados a partir de pedidos expedidos em lotes, ao invés de um pedido por vez.
  • Picking por onda: os produtos também são coletados de acordo com a SKU, mas cada separador é responsável por uma zona por tempo determinado.

Visando maior eficiência, os métodos podem ser combinados. Também, são usadas estratégicas na armazenagem que impactam toda a operação, como o Pareto – produtos com alta rotatividade são acomodados dentro do armazém visando a facilidade na separação.

Packing

O processo posterior ao picking é a preparação das mercadorias para serem enviadas ao cliente. Envolve fatores como embalagem adequada, proteção e organização.

É este passo que garante que os produtos chegarão em perfeito estado em seus destinos – quando packing é bem feito, claro.

Embalagem e proteção

A embalagem precisa resistir e proteger o produto em seu interior durante todo o trajeto e em situações de impactos.
Investir em embalagens feitas com bons materiais e em itens complementares (fita, isopor, plástico bolha etc.) é bem mais barato do que arcar com os custos de trocas e devoluções por avarias no produto.

O packing é o cuidado em relação a isto. O tipo mais adequado de embalar, preencher espaços vazios para dar mais segurança e a maneira de lacrar a embalagem – tudo é feito durante esse processo.

Também, um packing eficiente antecipará possíveis problemas no transporte avaliando o risco de avarias no momento de empilhamento e em possíveis impactos.

Packing como marketing

Investir em embalagens personalizadas e diferenciadas – que cumpram bem o seu papel de proteção – agregam a boa experiência do cliente, encantando-o logo no momento em que recebe o pedido.

Nas redes sociais, frequentemente pessoas, principalmente jovens, publicam o unboxing, uma gravação de quando elas abriram algum produto.

Se esse é o público-alvo, a empresa precisa considerar as embalagens como parte da experiência do cliente.

Terceirização do picking e packing

Em alguns casos, operacionalizar esses processos é inviável para empresa. Então, a saída é contar com uma empresa de logística.

Não é “mais um custo”. Sempre que pensar assim, lembre-se que maior que o custo com investimento nas entregas são os prejuízos com falhas na logística.

Trabalhar em conjunto com uma operadora logística é contar com pessoal qualificado para realizar as operações com maior produtividade e com ferramentas tecnológicas, usadas para otimizar os processos de picking e packing.

Armazenagem, gestão de estoque, separação e preparação dos produtos, rastreamento de todo o transporte – tudo passa a ser responsabilidade do parceiro logístico.

Além disso, também há o benefício em que a operadora logística trabalha com planejamento estratégico do transporte – a maior parte dos custos logísticos. Assim, desperdícios são cortados (taxas extras, atrasos, movimentação errada, tempo parado etc.).

Em tempos de grande volume de ofertas de frete grátis, eliminar os custos é fundamental para não perder vendas por este motivo.

Os processos de picking e packing terceirizados pode ser uma solução para o seu negócio? Entre em contato conosco, vamos avaliar juntos.



3 Comentários

Deixe uma resposta