Cross Docking: como funciona e quando optar por esse serviço

Quando falamos em agilizar o frete e reduzir custos logísticos, principalmente em comércios online, o cross docking pode funcionar muito bem como solução.

O termo cross docking (cruzando docas) foi utilizado pela primeira vez para fazer referência ao processo que descarregava mercadorias dos navios, com esteiras automatizadas e encaminhava-as diretamente para os caminhões, que eram separados por regiões de destinos.

Ou seja, um sistema de distribuição que reduz ao máximo a necessidade de estocagem de mercadorias – uma vez que chegavam e iam diretamente para o transporte até o comprador.

Hoje, o cross docking é uma prática consolidada. Em lojas online, por exemplo, o consumidor compra em um site, o lojista aciona o fornecedor do produto comprado. Este, envia a mercadoria diretamente ao centro de distribuição, que despacha a entrega até o cliente.

Percebe como o processo é ágil, sem muitas etapas?

Basicamente, a característica principal para que uma operação seja um cross docking é a ausência ou o mínimo de estoque. Quando as mercadoras chegam ao armazém de distribuição, elas ficam por pouco tempo até serem transportadas.

Claro, pode haver um período curto de tempo, chamado de backstage. É quando a mercadoria fica, normalmente, no máximo até três dias no armazém para serem alocadas no veículo com destino ao cliente final.

Mas, não é esse o objetivo do cross docking. O tempo de permanência no armazém deve ser o mínimo. Isso só é possível de acontecer pois, os produtos saem do fornecedor ou fabricante com compradores certos. Então, há como planejar para que a entrega seja mais produtiva e eficiente.

Entendendo como funciona, podemos perceber as vantagens.

Vantagens do cross docking

Redução de custos

Como já dito, o cross docking visa reduzir/eliminar o estoque. Assim, custos com espaço físico, operações de estocagem e equipe são cortados.

Mesmo que o estoque não seja zerado, ainda assim, haverá economia no tamanho do espaço necessário e a rotação das mercadorias será maior.

Agilidade

As mercadorias enviadas pelo fornecedor chegam, são preparadas e encaminhadas para o transporte até o comprador. Desse modo, as operações são mais rápidas, diminuindo o tempo do frete.

Produtos disponíveis

Como os produtos saem do fornecedor com destino certo, não há preocupação com o controle de estoque. Porém, as previsões de compras precisam ser compartilhadas entre lojista e fornecedor. Por isso, alguns produtos que possuem demandas muito variáveis podem ser mais difíceis de serem trabalhados no cross docking.

Mas, no geral, os lojistas conseguem trabalhar bem com as previsões de demandas, sem lidar com produtos indisponíveis.

Tempo para investir no negócio

A operação cross docking, se com as ações bem sincronizadas entre loja, fornecedor e transportadora, proporciona mais tempo para o empreendedor aprimorar outras áreas da empresa. Dar mais atenção ao atendimento ao cliente, ao pós-venda, ter boa comunicação e divulgação, ampliar a área de atuação, etc.

Evitar avarias

Como o processo é rápido, diminui o manuseio necessário das mercadorias. Obviamente, quanto menos movimentar a carga, mais baixo o risco de avarias ou danos.

Essas são as principais vantagens. No entanto, para que o cross docking não se torne um problema, ao invés de alavancar o negócio, alguns pontos precisam de atenção.

Cuidados ao implementar o cross docking

  • Contar com uma empresa logística parceira que tenha um bom sistema de gestão para que aconteça a sincronização de informações. Além de manter o lojista informado sobre cada etapa do processo.
  • Fazer bons acordos com fornecedores e os manter informados. Por exemplo, todo mês um fornecedor precisa reservar uma quantidade X de determinado produto e garantir também um tempo aceitável de reposição. Isso garantirá que nenhum produto comprado esteja indisponível.
  • O parceiro logístico precisa ter equipe e conhecimento para realizar a distribuição e transporte de forma segura, ágil e produtiva.
  • Ter um SAC bem estruturado para dar atendimento de qualidade e deixar o cliente mais seguro em relação à confiança na loja. As informações sobre os pedidos dos clientes também precisam estar em fácil acesso e atualizadas constantemente.
  • O armazém ou centro de distribuição do parceiro logístico precisa ser localizado estrategicamente, para facilitar o trânsito entre fornecedores e clientes.

Quando usar o cross docking

O serviço de cross docking não se encaixa perfeitamente em qualquer negócio. Ele é ideal para quem trabalha com diversidade de produtos e com demandas não variáveis.

Por exemplos, alimentos que precisam ser transportados no menor tempo possível para não haver perdas. Ou, uma loja de variedades, com produtos que saem de seus fabricantes já embalados e classificados, prontos para serem entregues ao cliente. São situações em que o cross docking agiliza muito a operação logística.

Ainda:

  • Empresas que enviam produtos combinados para múltiplos destinos e querem fazer isso de forma mais rápida e econômica (hub and spoke);
  • Em arranjos de consolidação, em que grandes cargas são quebradas em menores para facilitar e agilizar o transporte delas;
  • Em acordos de consolidação, que é combinar cargas de vários produtos pequenos, a fim de economizar no transporte.

Esses são alguns dos exemplos em que o processo de cross docking é implementado para ajudar na expansão do negócio.

Mas, para que surta efeitos positivos, sempre serão necessários três fatores:

  1. Fluxo de informações eficaz e transparente
  2. Equipe capacitada
  3. Comprometimento de todos os envolvidos

O serviço de cross docking tem várias peculiaridades. Para sermos mais precisos, fale com nossos consultores para saber mais como a solução pode ser implementada em seu negócio.

Leia mais: O que considerar ao escolher um fornecedor logístico



Deixe uma resposta