AliExpress para vendedores brasileiros

Neste mês, o grupo chinês Alibaba abriu a sua plataforma AliExpress para vendedores brasileiros. A empresa aproveita o crescimento do e-commerce no país e, com certeza, também dos impressionantes números de outros marketplaces.

A Shopee, por exemplo, que também é da China, cresceu mais 1464%, em 2020, após incluir em suas operações os vendedores brasileiros.

O AliExpress existe há mais de 10 anos e possui uma imensa base de clientes. Até então, consumidores brasileiros compravam apenas produtos vindos da China. Agora, os sellers brasileiros poderão atender esses clientes, com melhores prazo de entrega – por estarem no país.

A expectativa dos lojistas está alta com mais essa opção de marketplace no Brasil. Tanto que na coletiva de imprensa que o AliExpress deu, na última segunda-feira, foi divulgado que em três semanas depois da abertura, a plataforma recebeu milhares de cadastros de vendedores.

Quem está na mira da empresa são os pequenos negócios virtuais, que aumentaram muito desde o início da pandemia. Para o AliExpress, eles entram para “complementar o que já vem da China”, de acordo com Yaman Alpata, gerente de comércio local na América Latina da empresa.

O Brasil é o primeiro país das Américas que o AliExpress permite vendedores nativos e o sexto no mundo. Essa expansão de sallers é chamada de modalidade local to local.

Como vender no AliExpress

Para vender pelo AliExpress, a pessoa precisa possuir um CNPJ e que esteja tudo ok com a permissão de operação da loja. O cadastro pode ser feito na própria plataforma, aqui.

Após a solicitação de cadastro, a equipe da plataforma faz uma análise de idoneidade para aceitar ou não o vendedor.

Em relação às comissões pagas, os valores está sendo algo atrativo para os vendedores. Elas variam conforme a categoria do produto, entre 5% e 8% – menores que as praticadas por marketplaces concorrentes.

Logística do AliExpress

A plataforma possui um sistema logístico integrado, pertencente à Cainiao Envio. É uma empresa também do grupo Alibaba e que já opera no Brasil. As entregas feitas por ela possuem diferenciais, como desconto em determinadas taxas de envio e frete grátis.

Outro meio de envio é pelos Correios. Além disso, a empresa chinesa está buscando outros parceiros logísticos brasileiros para agilizar as entregas no país.

No entanto, os vendedores brasileiros podem optar por aderir à Cainiao, enviar pelos Correios ou utilizar a operação logística própria, se tiver. Ainda, podem mesclar o uso das opções.

O que esperar das vendas no AliExpress

Considerando os números da plataforma no Brasil, a promessa de ajudar pequenos comércios eletrônicos parece ser verdadeira. Os acessos mensais ao AliExpress giram em torno de 43 milhões. É uma vitrine exibida para muitos consumidores, não há como negar.

Para vendedores que já atuam em marketplaces ou para quem desejar iniciar no segmento, a chinesa pode ser um bom caminho para alcançar novas pessoas.

Se interessou pela oportunidade em vender no AliExpress? Então, sugerimos que participe do AliExpress Seller Day Brasil, que acontecerá em 1 de setembro e apresentará a plataforma aos vendedores interessados. Inscreva-se aqui.

 

Leia mais: E-commerce: o que esperar do segundo semestre de 2021