Frete CIF ou FOB?

Facilmente, você já leu frete CIF e FOB por aí, mas sabe o que elas representam? São siglas originárias do transporte marítimo e que, hoje, são usadas no transporte rodoviário de cargas. Seja vendedor ou comprador, saber a diferenciação entre elas é indispensável para saber quando qual modalidade de frete faz mais sentido para cada operação comercial.

Veja, de forma simples, o que você precisa saber sobre fretes CIF e FOB.

Embora sejam modalidades diferentes, as siglas dizem respeito aos mesmos fatores: responsabilidade e pagamento do transporte. Assim, a diferença entre o frete CIF e FOB é a definição de quem será o responsável por esse transporte da mercadoria.

CIF – Cost, Insurance and Freight

Traduzindo, significa “Custo, Seguro e Frete”. Ou seja, esses três itens ficarão sob responsabilidade de alguém, que, no caso do frete CIF, é do vendedor.

Nessa modalidade, todos os custos de transporte são embutidos no valor total do produto. Dessa forma, o comprador é responsável apenas por realizar o pagamento da mercadoria e aguardar o recebimento.

O vendedor fica encarregado de despachar o produto e garantir que ele chegue até o destinatário com segurança e em perfeitas condições. A sua responsabilidade acaba somente quando o cliente recebe seu pedido.

FOB – Free on board

O frete FOB não inclui os custos de transporte no valor do produto. O envio é acertado separadamente, nesse caso, pelo comprador.

O vendedor tem a responsabilidade pela mercadoria apenas até o momento em que ela é coletada/despachada do seu armazém.

Fazer a coleta, transportar e entregar no destino, são tarefas do comprador. Ele quem fica encarregado de custear e fazer toda a gestão do transporte, que inclui a contratação de seguros e realização de rastreamento.

Se houver extravios, roubos, perdas ou outras ocorrências durante o transporte, quem terá que resolver a situação junto à transportadora responsável será ele. O vendedor fica como espectador e não pode fazer nada.

Algumas vezes, o próprio vendedor pode acionar uma transportadora para fazer o frete do seu cliente, facilitando a operação. Mas, mesmo assim, o pagamento do transporte é feito pelo cliente.

Outra situação em que as coisas podem ser diferentes é em caso de redespacho, que o transporte do fornecedor até o local acordado com o cliente para a coleta é de responsabilidade do vendedor.

 

Quando usar

CIF

As vantagens do frete CIF é a garantia de qualidade no transporte e flexibilidade nos valores. As empresas possuem frota própria ou transportadoras parceiras, que possuem tabela de frete, que possibilita melhores condições de custos e pagamentos. Além da confiabilidade em usar o transporte de empresas especializadas nisso.

O frete CIF é a modalidade mais usada por empresas B2C, que enviam muitas mercadorias para vários destinos. Ficaria inviável fazer FOB para todos esses clientes.

Também, empresas B2B que não possuem uma cadeia de distribuição adequada ou ela está sobrecarregada, tem o CIF como uma boa opção em alguns casos.

FOB

O Frete FOB é mais usado por empresas B2B, principalmente fornecedores de insumos. É vantajoso para o vendedor, que não tem inclui o custo com transporte e seguros no valor dos seus produtos, e consegue praticar preços mais atrativos.

É uma modalidade muito mais cômoda para o vendedor, sem dúvidas. No entanto, não se encaixa para todo mundo.

O frete FOB interfere diretamente no valor agregado do serviço e na experiência que o cliente terá com o vendedor. Pois, como a responsabilidade total do transporte é do comprador, isso algumas vezes pode ser um problema.

Seja por falta de conhecimento ou tempo para cumprir a tarefa de contratar o transporte para coletar sua mercadoria, o comprador pode optar por um transporte não confiável. Então, há mais chances e haver problemas no envio e, se houver, o vendedor nada poderá fazer para ajudar o cliente. Situações assim podem gerar muitos desconfortos e a perda de clientes.

Nesse ponto, precisa ficar atento ao perfil do cliente que está comprando.

Já para determinados produtos, que não possuem valor agregado, é mais viável para o comprador enviar sua própria frota (ou contratada) para coletar as mercadorias nos diferentes fornecedores. Assim, o FOB é a melhor opção.

 

Bem, não há regras para utilizar os diferentes tipos de frete. Mas, um caberá melhor para um tipo de cliente que outro. Tudo irá depender do perfil do negócio, do tipo de relação comercial que tem com os clientes e da estratégia.

As diferentes modalidades de frete existem por exigência do mercado. Isso significa que as empresas podem mesclar seus envios, ofertando tanto CIF quanto FOB para seus clientes, desde que seja viável para ambos.