O que é flexibilidade logística

Dinamismo e agilidade são termos regentes na logística de qualquer empresa. Com a mudança no mercado e no comportamento dos consumidores, esses critérios ficaram ainda mais evidência para manter a competitividade do negócio. Então, a flexibilidade logística surgiu como tendência para possibilitar a otimização desses fatores.

A metodologia da flexibilidade logística envolve adoção de métodos que tornem os processos facilmente adaptáveis às oscilações e mudanças nos padrões de mercado. Quanto mais maleável, mais rapidamente a operação responderá positivamente diante de alterações.

O que se espera da logística

Hoje, temos uma infinidade de mercadorias rodando o mundo e sendo entregues diariamente. As demandas mudam em curtos períodos de tempos. Atuar com processos rigidamente padronizados não cabe mais.

Operações engessadas não respondem mais à necessidade do mercado atual. Ao contrário, dessa forma, a operação tenderá a ser lenta e custosa.

Assim, o que se espera da logística, atualmente, são serviços com sistemas flexíveis que englobem a otimização:

  • Dos níveis de serviços
  • Da gestão do estoque
  • Da frota
  • Do transporte
  • Da comunicação

A flexibilização impacta positivamente

O objetivo final da remodelagem dos processos de uma empresa sempre será a satisfação e retenção de clientes.

Reavaliar e flexibilizar esses sistemas impacta positivamente na competitividade da empresa e permite que as entregas vão além do cumprimento do prazo. Entregas das mercadorias em perfeitas condições, no momento adequado e com cordialidade proporcionam experiências e cativam o cliente final.

A flexibilidade na cadeia e, principalmente, nos elos entre as etapas dos processos, foca exatamente no objetivo final.

Implementação

Antes de falar efetivamente dos pontos para a implementação da flexibilidade é importante mencionar que o sentido de “flexibilização” se refere à adaptação. Não significa uma operação que age na base do improviso.

Além disso, a adaptação varia de acordo com a atuação de cada negócio. Existem inúmeras maneiras de flexibilizar processos, o que irá orientar essa tarefa é a realidade da empresa.

Porém, não dificilmente, mudanças irão passar pelas áreas fundamentais para a operação do negócio:

Mix de produtos

Uma boa loja, hoje, é a que possui o produto de necessidade do consumidor, mas também oferece outros produtos que são de desejo e que complementam a experiência final. Percebeu? São produtos de necessidade agregados com os de desejo.

A variedade em opções de modelos e customização são chaves para se manter no mercado.

No entanto, oferecer mais produtos, impacta na gestão de estoque, armazenagem, nos processos de separação e embalagem e na distribuição deles.

Estoque e armazenagem

Buscar um layout de armazém que aproveite os espaços e, ao mesmo tempo, permita que a tarefa de localização e separação dos produtos seja feita sem dificuldades e sem erros. Também, que tenha um controle inteligente, para informações sobre o estoque sejam atualizadas.

Modais e frotas

Como as demandas do mercado se diversificaram muito, há diversas opções de modalidades e empresas de entregas, que utilizam desde bicicletas até os grandes modais.

Isso é reflexo da demanda por entregas rápidas, de qualidades e de infinitos tipos de produtos.

Os transportes na modalidade fracionado também é um exemplo para atender a diversidade que há. A busca por esse tipo de entrega cresceu no último ano, principalmente pelo surgimento de novas lojas online, que possuem remessas pequenas e para várias partes do país.

O foco da flexibilização aqui é dar ritmo à operação, com dinamismo e sem esperas.

Tecnologia

Muitas ferramentas tecnológicas estão disponíveis no mercado e já sendo usadas para agilizar os processos. O dia a dia precisa de respostas e ações rápidas, então, a ajuda da tecnologia para isso é bem-vinda.

Softwares ERP, coletores de dados, leitores de códigos de barras e comunicação EDI são alguns exemplos, menos custosos, para tornar a operação logística em uma atuação simples, prática, transparente e eficaz.

 

Em resumo, não há modelo pronto de flexibilidade logística. Cada empresa a fará da melhor forma para gerar retornos positivos – ou seja, permitir maior produtividade e competitividade ao negócio.

No momento de escolher um parceiro logístico, atenção se ele possui um ambiente favorável que atenderá à flexibilidade da operação do negócio.