Como foi a Black Friday 2021

Acabamos de passar pela Black Friday e ainda nem chegou o Natal, mas os planejamentos já estão no fim do ano de 2022. Parece tão distante falarmos sobre isso, no entanto, o planejamento antecipado é a chave para aproveitar bem as datas sazonais.

Para ajudar nas previsões para o ano que vem, vamos ver o que podemos tirar de importante sobre a Black Friday que acabou de acontecer.

De acordo com NielsenIQ|Ebit, o comércio teve alta de 5,8% no faturamento deste ano – englobando compras realizadas na quinta, véspera, e na sexta da Black Friday. Porém, o volume de pedidos foi menor – caiu 9%, em relação ao ano passado, totalizando 5,6 milhões de pedidos.

A alta no faturamento, mesmo com menos pedidos realizados, deve-se à elevação no ticket médio, que subiu 16%. Ou seja, o varejo vendeu menos. Contrariando as ótimas expectativas que o mercado tinha sobre a Black Friday.

E não falamos apenas na frustração do comércio eletrônico. As vendas em lojas físicas também não foram como o esperado.

Ano passado, com grande parte do comércio de rua fechado, os varejistas digitais sentiram a demanda subir. O comportamento do consumidor, agora mais ligado às compras online, é algo que chegou para ficar, realmente, mas as compras físicas ainda têm seu espaço.

A expectativa de movimento nas lojas físicas era de até 10% a mais que o número de pessoas em 2020. Esse número não passou 1,6% neste ano.

Prioridades no consumo

As pessoas, pelo momento da nossa economia, estão priorizando determinadas categorias de produtos, que antes não eram costumeiras no varejo online.

Somente dentro do Mercado Livre, as categorias de Supermercado e Alimentação para Pets tiveram alta de 540% e 370%, respectivamente.

Os bens duráveis estão vindo depois dos bens essenciais.

Ou seja, podemos dizer que esta Black Friday se resumiu em consumidores com orçamentos limitados e com lojistas também limitados para oferecer promoções.

Não foi a famosa “tudo pelo dobro”, mas alguns lojistas ousaram na oferta de condições atrativas – que geraram muitas reclamações.

Reclamações

Segundo divulgou o Reclame Aqui, neste ano as reclamações começaram muito antes do fim da data de promoções. Antes, a grande parcela das reclamações acontecia dias após a Black Friday, geralmente por problemas nas entregas ou cobranças.

O que aconteceu em 2021 foi a explosão de reclamações sobre “entregas expressa”.

Muitos lojistas prometeram entregas com prazos agressivos, mas não conseguiram cumprir o prometido ao consumidor.

Trabalhar com prazos imediatistas requer planejamento e estrutura preparada para dar conta da demanda.

Falando nisso, como está seu planejamento logístico para 2022? Entre em contato com a nossa equipe, te ajudamos a ter melhores frotas, prazos e valores, de acordo com a realidade.