Como escolher galpão logístico sem complicações

O segmento de armazenagem logística, com a alta do e-commerce, teve o maior crescimento já registrado no Brasil. Dados da consultoria Cushman e Wakefield mostram que só nos três primeiros meses deste ano havia 15,1 milhões de m² de galpões logísticos. Em 2020, no mesmo período, esse número era de 14,2 milhões m². A taxa de galpão vago também surpreendeu, sendo a mais baixa.

O maior movimento nas vendas pela internet aliado à retomada dos comércios físicos fez com que o varejo tivesse que buscar soluções para aumentar e distribuir melhor o seu estoque. Situação também de quem procura meios de otimizar custos e oferecer fretes mais atrativos aos clientes, mesmo com a alta geral nas despesas.

É dessa maneira que a obtenção de um galpão logístico ou centro de distribuição estão sendo as alternativas encontradas pelas empresas. No entanto, é uma solução que pode contribuir para alavancar a operação da empresa ou se tornar um grande gasto.

Na maioria dos varejistas, a construção de galpões próprios é inviável. Ainda mais quando a necessidade dele surge em um curto período de tempo, como ocorreu no último ano. Armazéns próprios demandam planejamento, investimento e tempo para a construção.

Então, a saída mais imediata é o aluguel de galpões, sejam de rua ou em centros de distribuição.

Com a correria na escolha do local, alguns detalhes importantes podem acabar passando batido e se tornarem um problema conforme o tempo de uso do armazém. De forma simples e direta, listamos três itens (e uns subitens) a serem observados para escolher um galpão logístico eficaz e seguro.

Adequação

Antes de tudo é preciso saber como o armazém precisa ser para abrigar as mercadorias com os cuidados e segurança necessários. Por exemplo, a maioria dos galpões não são refrigerados, então para produtos que precisam de câmara fria e afins, isso terá que ser feito.

Adaptar o galpão demanda custos e, ainda, autorização do proprietário para realizar a obra, registrada em contrato. Algo que pode complicar um pouco. Então, o ideal é buscar locais que já tenham as adaptações necessárias ao tipo de mercadoria a ser armazenada e deixar as adaptações para último caso.

Localização

Sempre dar preferência para armazéns localizados em pontos estratégicos: com acesso fácil a rodovias, próximo das regiões dos clientes e, se for possível, em regiões com regime de tributação mais ameno.

Uma boa localização diminui o tempo em trânsito das mercadorias e permite trabalhar formas atrativas de entregas, talvez até com frete grátis para os clientes mais próximos.

Estrutura

Em uma visita rápida, muitas coisas podem ser deixadas de serem observadas e causarem dores de cabeça lá na frente. É o caso das instalações elétricas, encanamento, pintura e pequenas áreas desgastadas. Também, a iluminação precisa ser analisada tanto a incidência da luz natural na área, quanto a situação da iluminação elétrica – se precisa de reforço.

Piso

O piso precisa ser nivelado e resistente o bastante para o volume de carga que será armazenado e movimentado no local. Dependendo de como é feito, o desgaste é excessivo, exigindo manutenção constante no piso.

Altura

Não somente para quem armazena mercadorias em layout de empilhamento, mas a altura do pé direito é importante para todos os galpões. Ele precisa ser alto o suficiente para ter boa incidência de luz natural e proporcionar ventilação adequada.

Quando mais alto, melhor.

Espaço

Embora, para a maioria das empresas, o espaço interno é o que importa. Não é bem assim. As mercadorias precisam entrar e sair do armazém e isso é feito em veículos e máquinas, que precisam de espaço para circulação.

É preciso uma área externa de tamanho adequado para as manobras e estacionamento de veículos. Pense que um dos maiores objetivos com um galpão logístico é acelerar o processo de entrega, não dá para colocar isso em risco devido ao tempo perdido pelos motoristas para manobrarem.

Segurança

Além de sistemas de segurança, a documentação do local em dia influencia diretamente na segurança do armazém e das mercadorias.

Sempre checar se o espaço está com alvarás e licenças corretas. Caso contrário, além de não pode funcionar como um galpão logístico, se alguma ocorrência acontecer, como incêndio, as seguradoras só são ativadas com a documentação do local estando em dia.

Esses itens são básicos para que a aquisição de um galpão logístico traga benefícios e não prejuízos. Independentemente se será um galpão alugado ou contratada uma empresa de logística para fazer a armazenagem, os detalhes serão sempre os mesmos e definirão o sucesso e desafios desse crescimento da empresa.

Levando em conta tudo que foi falado, mesmo que seja na pressa, a escolha do galpão logístico será mais correta.

 

E os centros de distribuição? Saiba o que esperar ao contratar um, continue lendo:

O que esperar de um Centro de Distribuição terceirizado